5.31.2008

Katsura Yamauchi ao vivo em Lisboa

Katsura Yamauchi (fotografia: D.R.)


O japonês Katsura Yamauchi, conhecido como salmo sax, integrou Lisboa na sua digressão europeia e vai apresentar-se ao vivo em três espaços distintos da capital: Livraria de Artes (1 de Junho), Trem Azul (2 de Junho) e Centro Cultural O Século (3 de Junho).
Katsura é um músico (saxofonista) especial, único, talvez por ser um amante puro da música e da natureza em paralelo. Sempre explorou as diversas potencialidades dos seus sopros no seio da natureza, perto de cascatas e outros locais com acústicas invulgares, ou mesmo parcialmente submerso em belos lagos. Ao longo de cerca de duas décadas construiu, de forma autodidacta e sem influências de qualquer circuito musical, uma linguagem singular e original.
Na última década foi descoberto por Otomo Yoshihide, tendo sido facilmente absorvido pela cena free jazz japonesa, onde tem tocado com diversos improvisadores, como o próprio Yoshihide, Toshinori Kondo, Misha Mengelberg, Han Bennink, Barre Phillips, Michel Doneda, Norbert Moslang ou Gunter Muller.




UpArt




A UpArt é uma organização dirigida a todos aqueles que cultivam o gosto por objectos artísticos de raíz popular.
O enfoque da sua actividade recai essencialmente no culto amador (no sentido de amante), quase naïf, dos objectos em si mesmos, pelo que se pretende o afastamento possível «das transacções puramente mercantis e altamente especulativas». Desta forma, e segundo a UpArt, os objectos apresentados online são «sobretudo avaliados e valorizados por aquilo que representam para os seus actuais e futuros proprietários».
Da "Ceia dos Diabos" de Mistério (Galegos-Barcelos) até ao "O Amor É Cego" das Irmãs Flores (Estremoz), passando pelas máscaras Tchokwe (Angola) e pelas estatuetas de "Lampião e Maria Bonita" de Mestre Vitalino (Alto do Moura, Caruarú, no Brasil), «todo um mundo virgem e primitivo, de verdade e magia, se abre para quem o souber aproveitar».

5.26.2008

Novidades Alg-a



Há algumas novidades na entidade galega Alg-a. Para além de outras intervenções artísticas, a netlabel lançou o segundo EP de Mequetrefe, com «5 novas composicións feitas dende o salón-estudio da súa casa de Santiago de Compostela».


«Cancións nas que se nota a influencia do grupo de directo, con extructuras con espacios para o desarroio e o goce do eventual e a improvisación, como nos temas "Bomba Navarro" e "We are like cows". Coa implicación directa dos membros do seu grupo como esas guitarras agudas de Xes. E seguindo coa liña xa marcada no primeiro EP, con homenaxes a Twin Peaks e ao triángulo psicodelia-dub-shoegaze en "Money makes me happy" e "Spaguetti’s rain", que podería ser o seu propio autoretrato», pormenoriza a editora.

Para este trabalho, o artista «vén sendo acompañado por Gerardo (Almax, donde Mequetrefe tamén colabora coa súa guitarra) e Santi (Almax e Blixdemia), ambos integrantes do histórico colectivo dos anos 90 La familia feliz, de Santiago de Compostela».

Por seu lado, a videolabel tem disponível online o trabalho "Luz natural", de Sr Pause, que apresenta «un pequeno relato en formato video centrado nunha mensaxe de móbil: "Grcias Litio x ls baterías, x ste día nfinito, x ste siglo d ls Luces, x l luz natural."».

«Durmir no día infinito é imposible, a pel continuamente iluminada polos febles pero suficientes resplandores electrónicos móbiles, unha luz que aparece ordeada por lonxanos emisores e que só nos permite albiscar a noso propio rostro. Un novo todo para o pobo, pero sin o pobo; a Ilustración escrita nunha enciclopedia sen vogais: "Grcias Litio x ls baterías, x ste día nfinito, x ste siglo d ls Luces, x l luz natural."»

Fotografias: Alg-a



5.22.2008

Jazz ao Centro 2008



2008 é o ano da mudança para o Jazz ao Centro. À quinta edição, aquele que já se constituiu como um dos festivais de referência no panorama jazzístico nacional concentra-se agora num evento realizado unicamente na Primavera (de 2 a 15 de Junho), com novos desafios, abrindo-se de forma mais extensiva à cidade que o acolhe.
Falamos, agora, não só dos habituais concertos no Salão Brazil – reconhecidamente o seu «habitat natural» –, mas também de apresentações ao vivo nas Escadas do Quebra Costas, assim como no Teatro Académico de Gil Vicente e no Ateneu de Coimbra – para este palco espera-se, de resto, um dos pontos altos do Jazz ao Centro, com o ZFP Quartet de Carlos “Zíngaro”, Simon H. Fell, Márcio Matos e Mark Sanders (outro destaque será o Michaël Attias Quintet: Twines of Colesion).


Carlos "Zíngaro" (fotografia: Nuno Martins)


E também de animação de rua (com pequenas actuações e um espectáculo educativo), emissões radiofónicas em circuito fechado para a Baixa da cidade, um ciclo de cinema documental, exposições de fotografia e uma palestra sobre a relação entre arte, ciência e tecnologia no contexto das músicas improvisadas.
Sobre esta nova etapa na vida do Jazz ao Centro, a organização do festival sintetiza: «mais do que até aqui, este evento extravasa a música, assumindo-se, na memória individual e colectiva, como a experiência vivida de um tempo e de um lugar».
Nuno Loureiro

Ver o programa aqui.

Michaël Attias (fotografia: D.R.)


5.20.2008

Autechre download: Quaristice.Quadrange.ep.ae

Since May 19th, and over a two week period, Autechre will be releasing 13 new tracks digitally, comprising 140 minutes of new work, which are alternate versions of tracks from their latest Warp album, "Quaristice", and the special edition 2CD package of it. These versions have not been made available before on any previous releases.
Available for (payed) download, all the the tracks are accompanied by track-by-track artwork from The Designers Republic.
Full tracklisting:
1. The Plc ccc (available now) 2. Perlence range 7 3. Perlence Suns 4. 90101-51-6 5. 9013-2 6. Tkakanren 7. 90101-51-19 8. Perlence subrange 3 9. chenc9-1dub 10. 9010171-121 11. Perlence losid 2 12. notwotwo 13. Perlence subrange 6-36
Photos: R.R.





5.17.2008

People Like Us & Ergo Phizmiz: "Rhapsody in Glue"


People Like Us & Ergo Phizmiz have recently published a new online-only album, "Rhapsody in Glue", a cycle of bricolage-ballet-music, skewed-waltzes, and skewiff-pop.

There is a story behind every album, and with "Rhapsody in Glue" it is possible to find a unique approach to constructing a record. Both long-term contributors to New York radio station WFMU, People Like Us & Ergo Phizmiz decided to publicly tear apart their respective practices and create an album "in the open", presenting on a seafood-filled-platter the process of collaborative collage composition – informally discussing and jabbering nonsense to one another, resulting in the "Codpaste" free podcast series. This work is the culmination of the ideas explored in that same podcast series.


"Rhapsody in Glue" continues in the bizarre ballroom vein of their previous efforts together, however, increasing the sonic palette into textural depths previously uncharted in their work. If "Carmic Waltz" is an expressionist painting by aged ballroom dance teacher who's eaten the wrong kind of mushrooms in her soufflé, then "Gary's Anatomy" is a slice of pure absurdist pop shot through with slabs of exotica and Ethel Merman. Recurring through the record is an apparent obsession with Prokofiev's "Troika (Sleigh Ride)", which merges and mashes with Burt Bacharach and Queen on "Snow Day"' and lapses into pure fantasy on the almost entirely acoustic "Withers in the Whist", jarring with Ergo's strange, Victoriana obsessed lyrics. Then on "Dancing in the Carmen" we discover what happens if Nana Mouskouri is thrown into a pot with Peggy Lee and let simmer for 10 minutes, whilst "In The Waking" shimmers along on multitracked guitars, meandering melodies, and music boxes.

Photos: R.R.


5.14.2008

Hauschka no Senses 2



O Teatro Académico de Gil Vicente, em Coimbra, recebe no próximo dia 21 o projecto alemão Hauschka, no âmbito do ciclo de música electrónica e multimédia Senses 2.
Hauschka é o alias de Volker Bertelmann, pianista e compositor natural de Dusseldorf, cujo trabalho se baseia na exploração das possibilidades oferecidas pelo piano “preparado”, procurando contrariar a ideia clássica que se tem sobre este instrumento, assim como sobre o seu intérprete.
Max Richter, Sylvain Chaveau, Eric Satie, John Cage, Vert ou Pascal Comelade poderão ser referências, em termos de contextualização estético-musical.
Fotos: D.R.



5.12.2008

Elliott Sharp na “Jazz.pt”


A revista “Jazz.pt”, uma verdadeira ”pedrada no charco” no panorama da imprensa musical portuguesa, publica na sua edição de Maio/Junho uma entrevista a Elliott Sharp, ícone da música avançada nova-iorquina.

Recorde-se que uma primeira versão desta peça foi publicada no GPInformation, estando também disponível nos blogues da editora Clean Feed e da loja Trem Azul.

5.07.2008

Brian Lavelle: "Supernaturalist"


EE Tapes has recently released the new output from ambient/electronic Scottish artist Brian Lavelle.
On "Supernaturalist", Lavelle presents four long brilliant compositions, minimal at first hearing, but with full maximum impact: bare to multi-layered drones, gentle to hallucinogating field recordings with natural elements, ambient noises and real instruments (like piano and bass).
As usual on EE Tapes releases, the "Supernaturalist" CD is housed in a 7" folder cover, in a limited edition of 300 copies.
«A classic album with style, hauntingly beautiful!!», states the Belgian label. Great relaxing soundscapes in a time of saturation, recommends GPInformation.
Photos: R.R.




5.06.2008

Podcast: Pedro Tudela & Pedro Almeida

Photo: R.R.

Crónica Electrónica has made available, through the The Crónicaster, a new podcast by Pedro Tudela and Pedro Almeida.
The two artists recorded a rehearsal for a performance at the auditorium of Casa da Animação, in Porto. Tudela’s laptop and microphones created sounds of gestures and attrition that met the ASR piano of Pedro Almeida.
The Crónicaster presents regular digital releases of Crónica related pieces: radio broadcasts, live performances and special remixes, as well as everything the label can get its hands into.

5.03.2008

Summer Institute 2008


O Summer Institute 2008 é um evento único organizado pelo programa UT AustinPortugal que engloba workshops e palestras sobre diferentes áreas do Programa de Média Digital, como Cinema (ficção e documentário), Design, Música e Jornalismo.

Inscrições aqui.

english version

The Summer Institute 2008 is a unique event organized by the UT AustinPortugal Program, comprising workshops and talks that cover several areas of the Digital Media Program such as Cinema (fiction and documentary), Design, Music and Journalism.

Full program here.

O Lago

5.01.2008